O porquê dos mecânicos usarem as ferramentas melhor que os programadores

Estava eu no hall do café da empresa que trabalho, esperando a máquina terminar meu expresso, quando ouço o seguinte diálogo:

– C++ é muito melhor do que Java, cara.

– De jeito nenhum!

– Claro que é! Para te provar isso, você sabia que a máquina virtual do Java foi escrita em C++?

Agora eu te pergunto, amigo leitor: O que tem a ver uma coisa com outra?

Isso me levou a pensar sobre o comportamento de alguns colegas de profissão – e, algumas vezes, o meu próprio comportamento.

Linguagens de programação são apenas ferramentas, e devem ser tratadas como tal, e não como uma ideologia. Aliás, a primeira qualidade de um bom profissional é saber escolher corretamente suas ferramentas, deixando de lado emoções e gostos pessoais.

Ora, por acaso você já viu um mecânico de automóveis tentando tirar um parafuso com um martelo, simplesmente porque ele acha que o martelo tem uma usabilidade melhor? 🙂 Pois é exatamente isso que as vezes fazemos, por não dar voz à razão.

Hoje trabalho com desenvolvimento de software embarcado nativo, em C. E nem seria louco de propor o uso de Perl, por exemplo. Java? talvez um dia.. mas não hoje – e nem nas camadas que “falam” diretamente com o hardware. Seria loucura.

Durante a minha carreira, já programei em PHP, Perl, Java, C, C++, JavaScript… qual é a melhor? nenhuma delas. Todas são ferramentas importantes guardadas na minha modesta caixinha, prontas para serem usadas quando eu julgar conveniente. 🙂

6 respostas to “O porquê dos mecânicos usarem as ferramentas melhor que os programadores”

  1. Tiago disse:

    Poisé, se fosse pra exaltar as ferramentas e abraçar o POR (Programação Orientada a Revistinha) não seria necessário de se fazer um curso na universidade… heheheheheh

    Mas sério mesmo, o que falta muito nos profissionais de hoje é leitura. É acompanhar tendências, ou pelo menos ter o interesse em ler um livro que seja sobre TI mas que não seja o tutorial de uma nova ferramenta milagrosa.
    Eu abri muito a cabeça quando li livros como Applying UML and Patterns, Design Patterns, Refactoring, SOA in Practice etc. e isso relamente faz diferença.

  2. raquell disse:

    hehehe… “Programação orientada a revistinha” foi boa…

  3. Nilson disse:

    simples e objetivo, falou pouco e falou a verdade.
    PS: e perl é ótimo, mas eu prefiro python 🙂

  4. jr disse:

    Já programei em Java, Javascript, pascal, prolog e C.. Na minha humilde opinião a melhor linguagem de programação é a que realmente sabemos.. no meu caso é C.
    POR foi ótima!!

  5. Wagner disse:

    Vocês já são profissa eu sou um mízero iniciante curioso querendo aprender mais… Tenho só 14 anos e comecei a me interessar por programação com 8 pra 10 anos kkkkk Ainda não sei nada perto disso tudo, mas eu sempre tive adimiração por PHP mas pelo que falam de C++ da pra fazer bastante coisa hein

  6. Cada linguagem de programação foi criada em épocas diferentes e o que cada época valorizou será o que a linguagem terá como foco.
    Por isso que eu falo que depende.
    Java foi feito para ser flexível, lógico e portátil.
    PHP foi feito para ser prático.
    O C foi feito para aplicações que precisem de algo do 0.
    Assim vai…

    Existem varias maquinas virtuais java, algumas em assembly.

Deixe um comentário